Artigo em destaque

À medida que avançamos na idade, são muitos os desafios que temos que enfrentar: a morte de familiares e amigos, problemas de saúde, adaptação à reforma, entre muitos outros.

Envelhecimento Ativo e Saudável - conforto e segurança que os espaços físicos devem prever

O aumento da longevidade está a criar uma nova fronteira para a humanidade, a ampliar as perspetivas mentais e físicas. Os idosos dos nossos dias são, em muitos aspetos, pioneiros…, ajudam-nos a preparar o caminho para uma vida cada vez mais segura, mais saudável e mais rica para muitas gerações de idosos que virão depois deles.” Secretário-geral das Nações Unidas, em 1999, Koffi Annan.

 

É importante reconhecer que o envelhecimento é um fenómeno natural, progressivo nas nossas vidas, provocando incrementos de fragilidade e vulnerabilidade, e que influencia o estado de saúde e o estilo de vida da pessoa.

Deverá ser ponderado o tipo de modificação dos espaços, designadamente na habitação, e se se pretende que as intervenções sejam definitivas ou adaptadas consoante a evolução da necessidade física do idoso. Devemos ainda ter em consideração que o mercado disponibiliza vários tipos de ajudas técnicas, entre os quais dispositivos tecnológicos que evoluem e, como tal, deverá ser refletido o momento certo para os adquirir.

As alterações a introduzir nas habitações devem atender os estilos de vida da pessoa e garantir que as modificações permitam ao utilizador dos espaços a sua permanência na habitação, evitando a necessidade de alteração da residência ou até a institucionalização. A procura de um técnico arquiteto para o aconselhamento sobre quais as melhores opções a introduzir na habitação, é muitas vezes essencial para evitar a tomada de opções erradas e salvaguardar a qualidade de vida.

Há que dotar os espaços de medidas que diminuam os riscos de acidentes prevenindo quedas, em especial na habitação. Apresentam-se algumas recomendações a aplicar:

Pavimentos

  • Os pavimentos devem ser estáveis, duráveis, firmes e contínuos.
  • Assim, devem ser evitados tapetes que deslizem, o piso não deve ser molhado ou gorduroso e deve ter uma boa iluminação.
  • A seleção dos materiais deve considerar pavimentos com refletância média, com acabamentos não polidos, e evitar gradação de cores, para não ser confundido com degraus.

Escadas e rampas

  • É fundamental a existência de corrimão em ambos os lados em escadas e rampas, de modo a permitir acompanhar as subidas e descidas com conforto e segurança;
  • O corrimão deve ser contínuo nos vários lanços da escada, sem superfícies abrasivas e em material que não impeçam o deslizamento da mão;
  • O corrimão deve prolongar-se para além do primeiro e último degrau da escada, para evitar desequilíbrios na subida ou descida.

Portas e armários

  • Aconselha-se a abertura das portas para o exterior para facilitar o movimento no interior dos compartimentos;
  • Os puxadores das portas do tipo muleta permitem o uso com forças moderadas (por exemplo, possibilitam a abertura com o uso do cotovelo evitando o movimento de girar a mão);
  • As fechaduras devem permitir a sua abertura pelo interior e pelo exterior dos respetivos compartimentos.
  • Recomenda-se ainda que os armários e aparelhos sejam fixos, pois servem em muitas das situações de vivência diária de apoio para o levantar, o sentar, ou para apanhar objetos.

Instalações sanitárias

As instalações sanitárias das nossas habitações são locais que devem garantir a segurança e proteção para o indivíduo, que podem exigir uma série de adaptações que vão além da simples instalação de barras de apoio.

  • Em caso de uma queda, qualquer objeto fixo numa parede pode ser usado para a pessoa se agarrar, o que significa que a baixa temperatura de superfícies ou aquecimento radiante, devem ser preferidos, sempre que possível, aos radiadores tradicionais como um meio de prevenir queimaduras, e pela mesma razão, todas as canalizações devem ser protegidas.
  • A iluminação dos espaços em geral e especificamente nas instalações sanitárias é essencial para transmitir segurança e conforto, recorrendo a soluções que iluminem bem as louças sanitárias e as áreas destinadas aos auxiliares, que apoiam a pessoa idosa.
  • A instalação de um chuveiro de acesso de nível deve ser com piso antiderrapante, pois reduz o risco de queda;
  • Existem situações em que o banho de imersão é essencial para garantir a qualidade de vida da pessoa, pelo que nestas situações, deverá ser garantida a aplicação de barras de apoio para facilitar a entrada e saída da banheira;
  • A inclusão de barras na parede e assento de banho com os braços robustos, em banheiras ou bases de duche, aumenta a segurança.
  • As paredes onde se fixam as barras de apoio devem ser reforçadas.

Atualmente o mercado da construção dispõe de materiais diversos e aprazíveis, aumentando a oferta, como barras de apoio e assentos sanitários com cores, o que permite o encontro de soluções mais confortáveis, bem como o recurso ao contraste, entre o equipamento e as paredes onde estes são fixos, permitindo ao utilizador uma imediata identificação.

 

Cozinhas

Tal como acontece com as instalações sanitárias, para as cozinhas é possível prever soluções que respondem a diferentes exigências, como sendo:

  • Duas alturas de balcões de trabalho, onde a cozinha é usada por ambos os usuários, ambulantes e cadeiras de rodas;
  • Prateleiras com sistemas ajustáveis ou com mecanismo de “pull-down” liso, permitindo que os usuários de cadeira de rodas possam chegar ao espaço de armazenamento que de outra forma seriam inacessíveis;
  • Localização e posicionamento do forno a uma altura de trabalho conveniente;
  • Fornos com portas que se abrem para os lados, em vez de para baixo, pode ser mais fácil de se manusear.
  • Pias da louça rasas para libertar o espaço por debaixo, permitindo o posicionamento dos joelhos de um usuário sentado;
  • Torneiras com alavancas ou com controlos de infravermelhos;
  • Controlos da placa vitrocerâmica ou de indução, na parte da frente, para o acesso fácil e seguro;
  • Armários equipados tábuas de engomar baixos, que permitam a utilização sentado.

Localização de controlos

  • Interruptores de luz, tomadas elétricas, campainhas ou outros controlos localizados em locais visíveis e a altura de alcance de um utilizador em cadeira de rodas, modo a evitar o baixar o corpo ou o levantar demasiado do braço.

Outras recomendações podem ser adotadas sendo que a melhor opção deve passar pela escolha de um técnico competente para a análise das medidas corretivas, em face dos orçamentos disponíveis e das necessidades físicas do utilizador.

Ordem dos Arquitectos