Artigo em destaque

À medida que avançamos na idade, são muitos os desafios que temos que enfrentar: a morte de familiares e amigos, problemas de saúde, adaptação à reforma, entre muitos outros.

Atividade física e partilha através da vida comunitária, social e cívica

A vida comunitária é traduzida pela capacidade de participar em todos os aspetos da vida social comunitária (participar em organizações de beneficência, clubes ou organizações socioprofissionais). A vida comunitária, social e cívica remete-nos para ações e tarefas necessárias para participarmos na vida social e cívica organizadas, fora do âmbito familiar.

Ao longo da nossa vida deparamo-nos com muitas tarefas, variadas, que podemos ou devemos desenvolver, independentemente da nossa idade. Mas também é certo que com o avançar da idade temos a nossa tendência é, muitas vezes, marcada pelo afastamento de algumas dessas tarefas/atividades, sem que haja uma razão objetiva. Alguma inércia, propícia em idades mais avançadas, pode explicar esse afastamento.  Ou mesmo, acharmos de algumas tarefas já não são para nós. Ou até, sentirmos alguma vergonha ou embaraço quando nos expomos publicamente.  Pois bem, esse não é seguramente o caminho, pois todas as idades podem ser produtivas e ativas. E certo é que qualquer um de nós viverá melhor, mais saudável e mais feliz se mantiver uma vida ativa, adequada às suas capacidades e desejos.  

Nos pontos seguintes, mostramos como pode trilhar esse caminho nos seus hábitos diários, seja na vida comunitária com os vizinhos, ao ar livre, no desfrutar da cidade, dos seus direitos, das práticas sociais e religiosas ou da participação na vida política.   

Recreação e lazer

  • Participe em qualquer forma de jogos, de atividade recreativa ou de lazer (desportos informais ou organizados), programas de exercício físico, relaxamento e diversão ao ar livre, ir a galerias de arte, museus, atividades de rua, cinema ou teatro.
  • Realize trabalhos artesanais ou ocupar-se em passatempos, ler por prazer, tocar instrumentos musicais.
  • Faça passeios, excursões, turismo. Viaje por prazer.

Religião e espiritualidade

  • Participe em atividades religiosas ou espirituais, em organizações e práticas para satisfação pessoal, encontrar um significado para a vida, um valor religioso ou espiritual e estabelecer contacto com o poder divino (frequentar uma igreja, templo, mesquita ou sinagoga, rezar ou cantar com um propósito religioso, na contemplação espiritual).

Direitos Humanos

  • Desfrute de todos os direitos nacional e internacionalmente reconhecidos que são atribuídos às pessoas pelo simples facto da sua condição humana (direitos humanos reconhecidos pela Declaração Universal dos Direitos Humanos das Nações Unidas (1948) e as Normas Padronizadas para a Igualdade de Oportunidades para Pessoas com Incapacidades (1993), bem como o direito à autodeterminação ou autonomia e a controlar o próprio destino.

Vida política e cidadania

  • Participe como cidadão, na vida social, política e governamental, ter o estatuto legal de cidadão e desfrutar dos direitos, proteções, privilégios e deveres associados a este papel (direito de votar e de se candidatar a um cargo político, de formar partidos ou associações políticas).
  • Desfrute dos direitos e das liberdades associadas à cidadania (direitos de liberdade de expressão, associação, religião, proteção contra a busca e a apreensão não justificadas, o direito a um defensor público, a um julgamento e a outros direitos legais e a proteção contra a discriminação).
  • Leia as notícias diárias em jornais, revistas. Escreva sobre as ideias que lhe pareçam mais importantes para transmitir aos outros.  
  • Não ignore o seu estatuto legal como cidadão/cidadã.

Fernando Brandão Alves,

Lara Mendes,

Sara Santos,

CITTA – Research Center for Territory, Transports and Environment