Artigo em destaque

À medida que avançamos na idade, são muitos os desafios que temos que enfrentar: a morte de familiares e amigos, problemas de saúde, adaptação à reforma, entre muitos outros.

Temos que combater a não adesão à vacinação!

A não adesão à vacinação na população sénior continua a ser preocupação das autoridades de saúde publica. Esta é a ferramenta disponível mais eficiente para prevenir o aparecimento de algumas doenças, e das suas complicações, nomeadamente internamentos hospitalares e morte.

A população sénior é um dos grupos de risco que beneficiam da vacinação, mas para tal é necessário que a façam… O cumprimento desta vacinação é essencial para o sucesso dos programas preventivos que têm vindo a ser desenvolvidos a nível internacional.

Existem vários fatores de risco para não a adesão á vacinação na população sénior:

- Incerteza sobre a eficácia da vacinação: embora algumas vacinas, nomeadamente a da gripe, não apresentem uma proteção de 100% previne e ajuda nas formas mais graves da doença, reduzindo a mortalidade, custos e os incómodos associados à doença;

- Rendimentos: a falta de dinheiro para adquirir as vacinas pode ser um problema importante na adesão á vacinação; no entanto, na grande maioria dos países europeus algumas vacinas são disponibilizadas de forma gratuita a grupos de risco, onde se inclui a população sénior;

- Idade: quanto menos idade temos menos aderimos à vacinação. Embora se sinta jovem e saudável deve seguir as recomendações e vacinar-se;

- Autoperceção de saúde: o facto de se sentir de boa saúde não significa que não necessita de se vacinar. Desta forma podemos evitar algumas complicações que podem mesmo levar a que necessite de internamento hospitalar;

- Défices cognitivos: se tiver algum conhecido ou familiar que apresente alterações cognitivas, nomeadamente de memória, é importante que o ajude ou que procure quem o ajude a ir a uma instituição de saúde ser vacinado;

- Viver sozinho: o facto de viver sozinho não pode ser impeditivo de que se vacine! Muito pelo contrário, a vacinação ajudá-lo-á a manter-se saudável;

- Medo de complicações associadas à vacinação: as contraindicações associadas à administração de vacinas são mínimas. Existe por vezes a ideia errada que após a vacinação se desenvolve a doença, o que não é verdade pois a maioria das vacinas são produzida através de vírus mortos e, por isso, não pode, de modo algum, dar doença.

A responsabilidade de se vacinar é sua! Procure ajuda, familiares ou vizinhos, caso sinta dificuldades em aceder aos serviços de saúde responsáveis pela vacinação! Ajude os seus familiares ou amigos que tenham dificuldade em se vacinar! Não tenha medo das vacinas, são seguras e aumentam a sua qualidade de vida! Opte por um estilo de vida saudável, faça exercício físico e uma alimentação saudável, pois vai ajuda-lo com a sua imunidade, e aumentar a sua resistência às doenças e a sua qualidade de vida!

Elísio Costa, Faculdade de Farmácia, Universidade do Porto