Artigo em destaque

À medida que avançamos na idade, são muitos os desafios que temos que enfrentar: a morte de familiares e amigos, problemas de saúde, adaptação à reforma, entre muitos outros.

Escolha ser saudável

A satisfação das necessidades alimentares e nutricionais dos idosos é crucial para a manutenção da saúde, independência funcional e qualidade de vida.

A malnutrição, que engloba a nutrição desnutrição e a nutrição excessiva, aumenta os riscos para a saúde da população idosa. Mais recentemente, o aumento da obesidade e, por sua vez, a incidência de doenças crónicas em idosos, justifica intervenções de controlo de peso em idosos obesos. A alimentação em muito contribui para a prevenção daí que seja necessário que todos sejam sensibilizados para a importância associada ao cumprimento de bons hábitos quotidianos.

O vídeo salienta cinco passos distintos que promovem um estilo de vida saudável:

  1. Em primeiro lugar, a importância de se praticar uma alimentação variada, equilibrada, completa e sustentável, tal como orienta a Roda dos Alimentos podendo ser efetuadas muitas combinações saudáveis a partir dos sete grupos que a compõem, de acordo com as porções adequadas para as necessidades de cada um. Reforça-se a importância do cumprimento da máxima “5 porções de hortícolas e fruta por dia”, facilmente colocada em prática através de pequenos gestos como a inclusão da sopa e da fruta nas refeições. O mesmo se passa com as leguminosas, como o feijão, as ervilhas ou o grão-de-bico, que devem ser consumidas diariamente. As carnes brancas e o pescado devem ser preferidos às carnes vermelhas, que são ricas em gordura saturada e estão associadas ao desenvolvimento de problemas cardiovasculares e de tumores, por exemplo. Quanto ao sal o seu consumo diário nunca deve exceder os 5g, o equivalente a uma colher de chá.
  2. O segundo passo remete para a importância da hidratação, salientando a água como a bebida de eleição. O consumo recomendado é de 1,5l por dia, o equivalente a cerca de 8 copos, e a atenção deve ser redobrada em dias de calor, após a prática de exercício físico ou no caso das crianças, dos idosos e das grávidas.
  3. Sustentabilidade é também uma das palavras de ordem, procurando consciencializar para o seu impacto na qualidade da alimentação e no ambiente envolvente que estará à disposição das gerações vindouras. É importante evitar o desperdício alimentar, com pequenos gestos como aproveitar a parte comestível dos alimentos, cozinhar as quantidades certas ou reutilizar as sobras das receitas podem constituir um contributo significativo para a saúde da população e para a redução da pegada ecológica.
  4. Em quarto lugar, a importância do controlo do peso, sendo importante que seja pouco variável ao longo dos anos. Em caso de dúvida, o nutricionista representa a melhor fonte de informação que o cidadão pode procurar para se esclarecer.
  5. Finalmente, o quinto passo remete para a importância de combater o sedentarismo, procurando um estilo de vida ativo. Pequenos gestos como passear o cão ou optar pelas escadas ao elevador, poderão fazer a diferença.

Veja o video aqui.

Texto enviado por: Ordem dos Nutricionistas